Publicado por: Lobo | 4 de Janeiro de 2011

Monsaraz

Monsaraz é uma freguesia do concelho de Reguengos de Monsaraz, quase na fronteira com Espanha.

A vila foi conquistada aos Mouros em 1167, por Geraldo Geraldes “O Sem Pavor”. O castelo assumia a função de vigia com a fronteira de Castela.

Além de um património histórico assinalável possui uma vista privilegiada que é possível observar do alto do seu Castelo.

É uma vila onde predomina o xisto e é mais um local do nosso país perdido no tempo e no espaço, onde se pode ainda desfrutar da boa gastronomia Alentejana.

Realizam-se anualmente também as festas em honra de Nosso Senhor Jesus dos Passos, no segundo fim-de-semana de Setembro que incluem uma tourada com a morte do último touro na arena, na antiga praça de armas do castelo.

Em 2007 Monsaraz foi uma das finalistas na escolha das 7 Maravilhas de Portugal.

Publicado por: Lobo | 3 de Agosto de 2010

Pia do Urso

Pia do Urso fica localizado na freguesia de São Mamede, concelho da Batalha, a 12 km de Fátima. É um local carregado de história que oferece aos seus visitantes uma paisagem natural verdadeiramente deslumbrante, onde poderá apreciar também o magnífico trabalho de restauro das habitações típicas desta região serrana, em que a pedra e a madeira se constituem como os principais materiais usados.

Já no tempo dos Romanos, o lugar de Pia de Urso era utilizado como ponto de passagem, restando ainda na localidade de Alqueidão da Serra (Porto de Mós), um troço da via então existente e que servia os grande povoados, nomeadamente Olissipo (Lisboa), Collipo (Batalha/Leiria) vindo a cruzar-se depois na direcção de Bracara Augusta (Braga) a Mérida, então capital da Lusitânia.

A origem do nome desta localidade, dizem os antigos, que ficou a dever-se ao facto de um urso (provavelmente um Urso Ibérico) aproveitar uma das pias do maciço rochoso e aí beber água com frequência.

Dada a morfologia do terreno existente, assente num maciço rochoso calcário esventrado por dezenas de reentrâncias nas rochas designadas por pias, este local constituía-se como o único de Porto de Mós a Ourém com grandes quantidades de água.

Material cedido por Mário João Marques

Publicado por: Lobo | 2 de Agosto de 2010

Foz de Égua

A Aldeia da Foz de Égua pertence à freguesia do Piódão e com ela partilha a sua beleza mística da Serra do Açor.

A aldeia é caracterizada pelo seu aspecto rural serrano, com as suas típicas casas de xisto e lousa, circundadas por uma natureza quase em estado puro, rica em espécies de fauna e flora que aqui encontram o seu habitat natural.

Durante muitos anos isolada, é uma aldeia com origens remotas e que sobreviveu às intempéries em comunidade. Durante vários anos, situava-se no alto desta serra uma estrada Real que ligava Coimbra à Covilhã.

Em Foz d´Égua situa-se uma praia fluvial de grande beleza, o ponto de encontro da ribeira de Piódão com a ribeira de Chãs, que correm em direcção ao rio Alvoco.

Publicado por: Lobo | 2 de Agosto de 2010

Soajo

Soajo, situa-se na serra com o mesmo nome e pertence ao concelho de Arcos de Valdevez. Faz parte do sistema montanhoso da Peneda-Gerês, um povoado com mais de 2000 anos. Esta Aldeia de beleza natural, nas faldas da sua Serra, onde outrora os seus campos foram de milho, existe a maior “Eira Comunitária”, a Eira do Soajo ou Eirade, que é composta de 24 Espigueiros, que foram construídos sobre uma base granítica. Estes Espigueiros, destinavam-se a guardar o milho e estavam construídos de maneira a evitar o acesso dos ratos. O milho dá o pão e o pão é sagrado! Daí os Espigueiros serem encimados com uma cruz.

Material cedido por Mário João Marques

Publicado por: Lobo | 2 de Agosto de 2010

Minas de São Domingos

São Domingos, a 18 quilómetros de Mértola foi considerada no século XIX um dos mais importantes centros de extracção de cobre da Europa. Hoje as minas estão desactivadas, como de resto acontece desde 1967, contudo, muitas pessoas continuam a visitar esta antiga comunidade industrial.
Aqui tudo foi construído e pensado em função desta actividade. Casas, estradas, e até mesmo uma linha de caminhos de ferro, a primeira em Portugal. Por isso mesmo, ao chegar é inevitável um exercício de memória. A sensação é de se ter recuado no tempo, e é normal dar por si a tentar perceber como seria a vida desta aldeia há um século atrás.

Nas minas a paisagem está marcada, inevitavelmente, pela intervenção do homem. Pelo espaço erguem-se enormes edifícios, hoje em dia em ruínas, que deixam adivinhar uma intensa actividade de quem lá trabalhava.

Publicado por: Lobo | 12 de Maio de 2010

Centenária Feira de Maio – Azambuja (2010)

Decorrerá na Vila de Azambuja, de 27 a 31 de Maio, a Centenária Feira de Maio, a feira mais castiça do Ribatejo! É uma época do ano em que este pequeno recanto do Ribatejo ganha vida, e as ruas são preenchidas com a visita de muitos turistas e aficionados que já têm presença assídua nesta bonita festa brava. São cinco dias de grande folia, em que não vai faltar animação, muita música, actividades equestres, a corrida de toiros, e é claro, as largadas de toiros pelas ruas da vila. Por estes dias as pacatas ruas de Azambuja ficam engalanadas, com muitas janelas e fachadas ornamentadas com motivos alusivos ao Ribatejo, e eis que tudo se transforma, e todos os Azambujenses saem à rua, para receber todos aqueles que nos gostam de visitar e viver connosco estes cinco dias de festa e alegria!

O cartaz é recheado de surpresas agradáveis:

27 MAIO / QUINTA-FEIRA
Inauguração

17H00 /
Abertura Oficial da Centenária Feira de Maio

17H30 /
Inauguração dos Pavilhões do Artesanato «Artes e Ofícios» e das Actividades Económicas

18H00 /
Inauguração da Praça das Freguesias

19H00 / Ruas da Vila
Entrada de Toiros conduzidos por Campinos

24H00 / Páteo Valverde
Concerto de Fado com Carminho

01H30 / Praça do Município
Mesa da Tortura
—————————————————–
28 MAIO / SEXTA-FEIRA
Noite da Sardinha Assada

15H30 / Praça do Município
Toureio a Burro

21H00 /
Cortejo de Campinos com o gado pelas Ruas da Vila à Luz de Archotes

22H00 / Ruas da Vila
Entrada de Toiros conduzidos por Campinos

24H00 /
Distribuição gratuita de Sardinha Assada, Pão e Vinho
Animação de Rua; Arraiais nos Largos de Palmela e Rossio;
Fado Vadio no Largo da Fonte de Santo António e Largo
dos Pescadores

03H00 / Praça do Município
Espectáculo com Herman José
——————————————————–
29MAI / SÁBADO
Dia do Cavalo

09H30 /
Romagem ao Cemitério

15H00 › 17H00 /
Provas no Terreiro das Actividades Equestres

17H00 /
Animação de Rua

18H30 / Ruas da Vila
Entrada de Toiros conduzidos por Campinos

20H30 /
Animação de Rua – Cavaleiros e Amazonas

21H30 / Praça de Toiros
Espectáculo Equestre

24H00 / Junto à Escola Secundária
Concerto com os Expensive Soul & Jaguar Band (1ª parte Miguel Zi)

02H00 / Praça do Município
Mesa da Tortura
—————————————————
30MAI / DOMINGO
Dia do Campino

09H00 / Ruas da Vila
Cortejo de Campinos

09H30 / Praça do Município
Homenagem ao Campino

10H30 / Ruas da Vila
Entrada de Toiros conduzidos por Campinos

17H00 / Praça de Toiros
Tradicional Corrida de Toiros

22H00 / Páteo Valverde
Espectáculo Equestre
————————————————————–
31MAI / SEGUNDA-FEIRA
Encerramento

09H00 / Ruas da Vila
Actividades de Animação para alunos do 1º Ciclo

16H30 /
Animação de Rua

17H00 /
Entrega de Prémios do Concurso de Janelas ou Fachadas, Montras
e Largos Classificados

18H00 / Ruas da Vila
Entrada de Toiros conduzidos por Campinos

24H00 /
Encerramento da Feira com o tradicional fogo de artificio.

Publicado por: Lobo | 7 de Maio de 2010

Sortelha

Sortelha é uma pequena freguesia do concelho do Sabugal. Esta aldeia histórica perdida no tempo e no espaço, reserva a quem a visita, vestígios de um passado escondido nas muralhas do seu Castelo.

Podemos percorrer as ruas sinuosas e imaginar o movimento de outrora. Actualmente o movimento deve-se essencialmente aos turistas que a procuram, e que têm ao seu dispor casas de turismo rural particulares da região. A beleza da paisagem circundante e o sossego deste destino levam muitos de nós em busca da descoberta de um passado desconhecido, mas fácil de imaginar mais ruidoso e movimentado.

Publicado por: Lobo | 6 de Maio de 2010

Badoca Safari Park

O Badoca Park é uma óptima opção para quem sempre sonhou fazer um Safari mas não pode ir a África. Claro que não será a mesma coisa, mas sempre podemos ver de bem perto muitas das espécies que se poderia ver naquelas paisagens das savanas Africanas.

De entre as atracções do recinto, destaca-se a demonstração de Aves de Rapina, em que podemos ver algumas espécies tais como águias, falcões ou mochos a fazer voos rasantes às nossas cabeças e apreciar algumas simulações de cenas de caça.

A atracção principal é um circuito de cerca de 1 hora, em tractores com reboques, que nos transporta por um local que nos faz lembrar as savanas africanas e onde podemos observar muitas das espécies que lá existem de bem perto. Animais como girafas, orixes, zebras, búfalos, avestruzes, elandes, gnus, entre outros, podem ser observados ao longo do percurso.

Pode ainda experimentar o Raftling Africano, onde a bordo de um pequeno barco pneumático, com capacidade para 9 pessoas, percorrerá cerca de 500 metros de águas turbulentas que simulam a descida de um rio.

Outra das atracções é uma sessão de alimentação com os Lémures, na ilha dos primatas, onde pode estar em contacto bem de perto com estes animais em vias de extinção, mas que infelizmente não tive a oportunidade de assistir.

Localização:

Este parque temático situa-se em Vila Nova de Santo André, no concelho de Santiago do Cacém e abrange uma área de cerca de 90 hectares.

Preços:

Adultos Individuais 16,00 €

Crianças Individuais (dos 4 aos 10 anos) 14,00 €

Escolas 6,50 €

3ª idade (+65 anos) 14,00 €

Nota: Existe também um desconto de 10% para cartão jovem. Pelo menos à um ano era assim e apesar de nada dizer acerca disto no site do Badoca Park, ainda existe essa informação no site do Cartão Jovem

Publicado por: Lobo | 14 de Abril de 2010

Almeida

Almeida é uma vila pertencente ao distrito da Guarda. Esta sede de concelho é um sítio tranquilo onde se pode fugir à azáfama das cidades, percorrendo as suas ruas sem trânsito e vendo apenas uma pessoa aqui e acolá. As habitações de sua maioria brancas contrastam com os muros das suas muralhas de granito que envolvem toda a vila. Esta pequena povoação assistiu a quase todas as invasões a que ao longo dos tempos Portugal foi sofrendo, principalmente pela sua proximidade com a fronteira, pelo que desde a Idade Média foi fortificada. Toda a edificação da muralha foi feita em forma de estrela, uma estratégia adoptada para melhor protecção da população que ali vivia. Podemos passear nas ruas e sentir ainda o gemido daqueles que partiram, daqueles que deram a sua vida para defender aquelas fortificações. Hoje a vila rendeu-se ao turismo e possui uma pequena pousada, duas residenciais, alguns restaurantes e bares onde se pode degustar toda a gastronomia rica e variada da região. Existem ainda as festas e romarias, principalmente na altura do verão, que atraem os nossos emigrantes até as suas raízes e costumes.

Enquadrada numa região de uma beleza ímpar, Almeida é um local a ter em consideração para passar uns dias e partir à descoberta da natureza, das aldeias históricas envolventes e de outras belezas escondidas nas suas proximidades.

Publicado por: Lobo | 12 de Abril de 2010

Valada do Ribatejo

Valada é uma freguesia do Concelho do Cartaxo que alia o património histórico e o património natural que se pode encontrar em plena zona fluvial da Lezíria do Tejo. Ideal para passar um dia agradável reúne condições para um programa a dois ou em família. Nesta pacata vila ribatejana, existe um parque de merendas onde se pode optar pelos grelhados (nos fogareiros existentes) enquanto as crianças brincam no parque infantil. Se a sua visita a este oásis à beira do Tejo resultar de um passeio ocasional, e a hora de almoço soar no sino da igreja da terra, Valada tem ao seu dispor uma gastronomia regional, onde o papel principal cabe naturalmente às enguias. Este peixe de rio pode ser saboreado essencialmente frito, mas não é de estranhar que o encontrar sobre a forma de caldeirada ou de ensopado. Pela tarde dentro as sombras e a companhia do rio Tejo convidam a descontracção. Em dias de mais calor a pequena praia fluvial cativa os mais corajosos a banhos. Ideal para um passeio de bicicleta Valada pode ser ponto de passagem num percurso que leva o ciclista pelos campos de cultivo dentro, permitindo-o apreciar as várias etapas que o cultivar implica, bem como a singularidade de um dia no campo. Neste é-se cumprimentado pelas aves rasantes, o sopro do vento, a fragrância da vegetação e o aroma das amoras em pleno verão. Se optar por um veículo menos ecológico como o automóvel, tem ao seu dispor estradas secundárias, mas calmas e pouco movimentadas. Caso a sua paixão seja a navegação de pequenas ou médias embarcações o cais marítimo possibilita-o a atracar.
Local repleto de sensações e possível de aceder por vários meios, Valada reúne o que mais belo que a natureza nos brinda. Fica o convite…

Older Posts »

Categorias